Lígia de Noronha * psicóloga, especialista no despertar da consciência

Libertação emocional * Casamento entre personalidade & espírito

Consiga eu serenar a mente, que tanto capta e tanto sente, tentando unir-se ao todo daquilo que sou e do que experiencio dentro e fora de mim.

Tudo é perfeito, pleno e completo, tal como é, e sinto-me a desfrutar disso de modo cada vez mais consciente, sensível, aberto e são.  A intuição guia-me, e eu aprendo a escutá-la e a segui-la, usando assim a mente, creio que, construtivamente…

É sublime o que acontece e o que passo a perceber…
Uma experiência recentemente iniciada, a de sentir-me atraída por alguém, alguém em particular, o que pode dizer-me sobre mim?

Apercebo-me de que auto-observação inclui averiguar constantemente de que forma consigo manter-me centrada, no presente, comigo mesma – e o que decido fazer, em particular quando ‘me assalta’ a vontade de ir ter/estar com essa pessoa.
E também qual o grau de importância (e urgência) que tem para mim a possibilidade de com ela interagir através do toque, do olhar, de um beijo, de todo um acariciar… O que representa isso para mim?

 

Inteireza, inteireza de União, na qual o mental, o emocional e o espiritual manifestam-se em uníssono através do corpo físico, das nossas corporalidades entrelaçando-se…?
E o que sinto e me permito quando isto acontece?
Tem importância o facto de ter a atenção, os sentidos dela ‘virados’ completamente para mim… Completamente, ou quase… E daí; sinto-me merecedora disso? Abro-me a receber. Consigo fazê-lo? E dar…? Como decorre a dinâmica do dar-e-receber, aqui?

 

De que forma a carência de Amor, enfim, de carinho, de atenção (pela via do olhar e do toque, do beijo e do abraço, da escuta incondicional, de colo e mimo …), que possivelmente trago da infância influencia-me antes do e durante e após o Encontro?
Expectativas assaltam-me, desejos também, e o que mais? De que forma ‘mexem’ comigo? Estou atenta? O que decido fazer? O que me permito sentir no aqui-e-agora?

 

Torna-se claro que a harmonia entre o que sinto, quero e realmente preciso vem do deixar fluir, expressando, manifestando, contudo – tudo, porém, sem nada exigir ou projectar…

Eu posso falar do que sinto e quero e ir percebendo que o que acontece é o que é suposto acontecer, (evidentemente) a seu ritmo, tempo e intensidade próprios…

 

É uma questão de saber o que fazer comigo mesma quando não é possível estar com outra pessoa ou obter o que quer que seja que quero, a cada momento…

Estou Bem ‘com’ e ‘sem’? E porquê? Porque quando estou ‘sem’ estou com aquilo que tenho, ao alcance, aproveitando isso para também me sentir inspirada, nutrida, atendida e Amada, por mim mesma…Aí estou em Gratidão…

 

Por exemplo, sinto-me Grata, tão Grata por decidir escrever e confirmar que isso me permite permanecer completamente no Presente e de modo motivado e tranquilo. Feliz, então…

No fundo, é conseguir fazer algo para me Servir, agradar e enriquecer – e eventualmente isso reverter a favor dos outros, também, a cada momento, do percurso, do Caminho…

Do Caminho de retorno a mim mesma, da experienciação de mim na totalidade, até ao momento em que a personalidade e o espírito que me compõem se Casam… E sinto libertação emocional!

Só nesta altura, parece-me, conseguirei eu nutrir um relacionamento conjugal de forma responsável, consciente e sã, e nele permanecer com a qualidade, a harmonia e a durabilidade para as quais vou trabalhando e que venho a merecer…

Enfim, só nesta altura é que me poderei Casar com outrem!!!

5 Comments

  1. Maria João Gervásio Reply

    Ligia adoro o que escreve …o que sente…e o amor que transmite…as suas palavras são uma verdadeira e constante paixão pela vida…eu ao contrário sinto uma constante tristesa dentro de mim…nada para mim faz sentido,mas ao ler as suas palavras sinto esperança de um dia sinta todas essas emoções….quem sabe…obg.por ser como é pois já são poucos….bjo

    1. Lígia de Noronha Reply

      Grata pelo apreço, Querida Maria João. O que transmito é reflexo de trabalho interno… de algum tempo já…
      Tanto e tant@s nos fazem sentido… É a hora de aplicarmos (tudo isso) na prática. Tudo! E aí sim, sentimos a Vida que Somos. Lindíssim@s!
      Um grande, grande Abraço de Luz (Consciência),
      Lígia

  2. Jay Colosse Reply

    Boa noite adoro o seu trabalho e a forma em que expressas a condicao de ajudar o outro, e assumo que este trabalho nao so nos ajuda a despertar mais sim tambem a curar, como terapia para as nossas mentes e na vida cotidiana, obrigado e um abraxo….

    1. Lígia de Noronha Reply

      Olá, Jay. Grata pelo apreço e melhores votos te estendo para a aplicação na prática do que quer que te faça sentido…
      Estou aqui a/para cumprir uma Missão, e esse percurso não conta. É um dever que tenho. É a minha fonte de felicidade.
      Abraço enorme, impregnado de Luz (Consciência) e Amor.
      Lígia

Responder a Lua Sofia Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Back to top